Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de julho de 2017. Atualizado às 00h28.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Cosméticos

26/07/2017 - 22h24min. Alterada em 27/07 às 00h28min

Natura tem lucro de R$ 163,5 milhões no 2º trimestre

A fabricante de cosméticos Natura reportou lucro líquido consolidado de R$ 163,5 milhões no segundo trimestre de 2017, aumento de 79,8% na comparação com o mesmo período de 2016. No acumulado do primeiro semestre de 2017, esse resultado foi de R$ 352,5 milhões ante R$ 21,8 milhões do mesmo período do ano passado.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Natura chegou a R$ 298,6 milhões entre abril e junho de 2017, montante 13,4% menor do que o apurado pela companhia no mesmos meses do ano anterior. Em seis meses, o Ebitda acumulado é de R$ 663,2 milhões, crescimento de 18,1%.
A receita líquida consolidada da Natura ficou estagnada no trimestre na comparação anual. A companhia reportou receita de R$ 2,025 bilhões, mesmo montante do segundo trimestre de 2016. No semestre, a receita chega a R$ 3,754 bilhões, alta de 1,1% na comparação anual.
A Natura perdeu 120 mil consultoras no Brasil em um ano. Até o final de junho, a base de consultoras da companhia era de 1,2 milhão de consultoras, número 9,1% menor que o do mesmo mês do ano passado.
Em teleconferência com jornalistas nesta quarta-feira, 26, o vice-presidente de Finanças e de Relações com Investidores da companhia, José Roberto Lettiere, considerou que a queda é resultado de um impacto sentido pelas consultoras com ajustes promovidos pela companhia no canal de venda direta.
“Obviamente, quando se traz mudanças, sempre tem um espaço de ajuste”, comentou. Entre as mudanças, a Natura passou a segmentar as consultoras por perfil, oferecendo condições diferentes para cada tipo de vendedora.
Questionado, ele evitou comentar sobre perspectivas para a venda direta diante do avanço da Natura no varejo físico, em especial após a aquisição da rede The Body Shop. O executivo destacou que a companhia busca com as mudanças um aumento da produtividade das consultoras que estão na base. O indicador de produtividade, que considera as vendas por consultora, cresceu 4,2% neste segundo trimestre de 2017 ante igual período do ano anterior.
Mesmo com o aumento da produtividade, as vendas no Brasil recuaram no trimestre. A receita líquida no País caiu 2,3% na comparação anual, para R$ 1,344 bilhão. O número de unidades vendidas diminuiu 12,6% no trimestre. A companhia afirmou que, apesar do destaque positivo para o desempenho de categorias como perfumaria, com alto preço médio, as vendas não compensaram a queda de outras categorias de produto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia