Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de julho de 2017. Atualizado às 00h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 27/07/2017. Alterada em 26/07 às 21h29min

Petrobras aprova nova emissão de debêntures no total de até R$ 5 bilhões

O conselho de administração da Petrobras aprovou ontem a realização da quinta emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, sem garantia, no montante total de até R$ 5 bilhões para distribuição pública, com esforços restritos de distribuição.
A emissão será em até quatro séries. A alocação dos volumes entre as séries será definida em procedimento de coleta de intenções de investimentos (bookbuilding) e prevê que no mínimo R$ 800 milhões deverão ser alocados na primeira e/ou na segunda séries (que serão de debêntures incentivadas) e R$ 3,2 bilhões serão alocados na terceira e/ou na quarta séries.
A estatal lembra que as debêntures incentivadas, que irão compor duas séries, contarão com o incentivo previsto na Lei nº 12.431, em cujos termos foi expedida a Portaria do Ministério de Minas e Energia nº 457, a qual enquadrou como prioritário o projeto de investimento na área de infraestrutura de petróleo e gás natural denominado "Programa de Exploração e Desenvolvimento da Produção dos Campos da Cessão Onerosa".
As debêntures serão distribuídas pelo regime misto de colocação para o valor total da emissão, sendo parte em regime de garantia firme e parte em regime de melhores esforços, por instituições financeiras autorizadas a operar no sistema de distribuição de valores mobiliários. As taxas finais serão definidas após procedimento de bookbuilding.
A Fitch atribuiu o rating nacional de longo prazo AA (bra) à proposta de emissão de debêntures da empresa.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia