Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de julho de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

consumo

Notícia da edição impressa de 18/07/2017. Alterada em 17/07 às 21h11min

Caixa lidera ranking de queixas dos consumidores

Banco Central recebeu 9.995 reclamações contra instituições financeiras no primeiro trimestre do ano

Banco Central recebeu 9.995 reclamações contra instituições financeiras no primeiro trimestre do ano


/YASUYOSHI CHIBA/AFP/JC
O Banco Central (BC) informou ontem que a Caixa Econômica Federal liderou o ranking de reclamações contra instituições financeiras referente ao segundo trimestre de 2017. O banco registrou índice de 29,11. Em segundo lugar aparece o Santander (28,58), e, em terceiro, o Bradesco (24,45). Nesta lista estão os bancos e as financeiras com mais de 4 milhões de clientes.
Ao todo, o BC recebeu 9.995 reclamações de consumidores. No primeiro trimestre, foram 9.346. O índice de reclamações é calculado com base no número de reclamações consideradas precedentes, dividido pelo número de clientes da instituição, multiplicado por 1 milhão. Na prática, quanto maior o índice, pior a classificação da instituição. Antes publicado a cada dois meses, o ranking passou a ser trimestral neste ano.
No ranking, o Banco do Brasil aparece como a quarta instituição mais reclamada (índice de 21,71). Na sequência estão Itaú Unibanco (21,33), Banrisul (15,86), Votorantim (14,98), Midway (11,85), Omni (4,12), Pernambucanas (2,86) e Banco do Nordeste (0,00).
Entre as reclamações mais frequentes, problemas com oferta ou prestação de informação a respeito de produtos e serviços. No segundo e terceiro lugar entre as queixas mais frequentes ao Banco Central estão irregularidades relacionadas à confiabilidade, à segurança ou à legitimidade de operações e serviços, incluído cartões de crédito, débito, internet banking, entre outros. Débito não autorizado e cobrança irregular de tarifa por serviços não contratados fecham os top cinco de insatisfação dos consumidores com o setor bancário, que tem mais de 70 itens.
Entre bancos e financeiras com menos de 4 milhões de clientes - que formam um ranking a parte -, a liderança é a Agiplan, com índice de reclamações de 130,84 no segundo trimestre. Em seguida aparecem Pan (81,21), BRB (60,09), BNP Paribas (56,93), Paraná Banco (54,45), Intermedium (54,16), CCB (51,26), Alfa (50,99), BMG (47,75) e Safra (44,12).
O BC publicou ainda um ranking referente às administradoras de consórcios. A primeira posição no ranking de reclamações é da Caixa Consórcios, com índice de 139,42. Depois aparecem Santander Brasil Administradora de Consórcio (72,55) e Consórcio Nacional Volkswagen (59,98).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia