Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de julho de 2017. Atualizado às 18h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 14/07 às 18h55min

Dólar recua em Nova Iorque ante rivais pressionado por dado decepcionante nos EUA

Agência Estad
O dólar fechou em queda ante suas rivais, nesta sexta-feira (14), pressionado por dados decepcionantes da inflação americana, que aumentaram as preocupações sobre os planos do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) de apertar sua política monetária.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar caía a 112,55 ienes, de 113,26 ienes na tarde de quinta-feira; o euro avançava para US$ 1,1469 de US$ 1,1406; e libra subia para US$ 1,3103 de US$ 1,2946.
O Departamento do Trabalho dos EUA informou nesta sexta que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) ficou estável em junho ante maio, contrariando a previsão de alta de 0,1%. O núcleo do CPI subiu 0,1%, abaixo da previsão de +0,2%. Além disso, as vendas no varejo caíram 0,2% em junho ante maio, enquanto a estimativa era de avanço de 0,1%. Isso reforça a ideia de que o BC pode aumentar os juros mais lentamente do que o mercado projeta.
Juros maiores tendem a beneficiar a divisa americana, que fica mais atrativa para investidores em busca de rendimentos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia