Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de julho de 2017. Atualizado às 23h12.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Sistema Financeiro

Notícia da edição impressa de 14/07/2017. Alterada em 13/07 às 21h36min

TLP reduzirá subsídio implícito em repasses ao Bndes

Para Tiago Couto Berriel, medida contribuirá para o equilíbrio fiscal

Para Tiago Couto Berriel, medida contribuirá para o equilíbrio fiscal


BETO NOCITI/BETO NOCITI/BCB/DIVULGAÇÃO/JC
O diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central (BC), Tiago Couto Berriel, voltou a defender, nesta quinta-feira, a Taxa de Longo Prazo (TLP), criada para substituir a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), utilizada em contratos do Bndes. Em texto institucional divulgado pelo BC, Berriel afirmou que "a nova sistemática levará a uma redução gradual do subsídio implícito nos repasses de recursos do Tesouro ao Bndes".
O comentário retoma ideia já expressa na véspera por Berriel durante audiência pública da comissão mista que analisa a Medida Provisória nº 777, que cria a TLP. De acordo com o diretor, a diminuição dos subsídios contribuirá para o equilíbrio fiscal no Brasil, com impactos positivos sobre a dívida pública. A proposta prevê a eliminação, em cinco anos, da diferença entre o custo de captação do Tesouro e o custo dos empréstimos do Bndes.
"A TLP baseada numa taxa de mercado responde à política monetária muito mais prontamente. É isso que aumenta a potência da política monetária, pelo canal do crédito, e beneficia, em princípio, o conjunto dos tomadores de crédito do País", acrescentou Berriel.
O diretor pontuou ainda que a TLP permitirá que mais investidores privados sejam atraídos para o mercado. "Isso vai permitir ao Bndes ampliar a forma da atuação, de forma mais integrada ao mercado de capitais, com condições de vender ou securitizar os créditos concedidos", disse Berriel.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia