Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de julho de 2017. Atualizado às 18h28.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 10/07 às 18h31min

Após 4 quedas seguidas, Ibovespa sobe 1,13% com exterior e política

Depois de quatro quedas consecutivas na última semana, o Índice Bovespa teve uma sessão de recuperação nesta segunda-feira (10), e fechou com ganho de 1,13%, aos 63.025,46 pontos. O desempenho positivo teve como principal referência o cenário internacional, com alta de commodities e das bolsas de Nova York. Mas também contou com fatores domésticos, como expectativa de aprovação da reforma trabalhista e até mesmo a assimilação de um eventual cenário que tenha Rodrigo Maia (DEM-RJ) como presidente. Apesar da alta significativa das ações, o volume de negócios com ações na B3 somou R$ 5,5 bilhões, o que evidencia um mercado ainda retraído.
A principal expectativa do dia girou em torno da leitura do parecer do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) sobre a denúncia da Procuradoria-Geral da República, que acusa o presidente Michel Temer de corrupção passiva. A poucos minutos do encerramento dos negócios na bolsa, Zveiter confirmou o que já se esperava e revelou um parecer favorável à admissibilidade da ação. Ao longo do dia, o governo continuou a trabalhar na tentativa de barrar a abertura da investigação. Integrante da base de apoio, o PR já trocou quatro dos seus cinco membros que eram titulares na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).
A confirmação não chegou a gerar impacto significativo no desempenho do Ibovespa, que já operava em alta desde a abertura e atingiu a máxima do dia no período da tarde, aos 63.135,39 pontos (+1,30%). Das 59 ações da carteira teórica do índice, apenas 6 terminaram o dia em baixa. Os preços de referência do minério de ferro subiram e o petróleo firmou-se em alta após um período de instabilidade. Com isso, as ações da Vale tiveram ganhos de 2,84% (ON) e de 2,18% (PNA), enquanto as da Petrobras avançaram 0,16% (ON) e 0,42% (PN).
"As ações subiram principalmente com o cenário internacional, mas a alta também mostrou um mercado comprado na ideia de Rodrigo Maia como presidente, pelo bem das reformas", disse Luís Gustavo Pereira, estrategista da Guide Investimentos. Segundo o profissional, o mercado passou nos últimos dias a enxergar a possibilidade de "algum desenvolvimento" na reforma da Previdência, que muitos já imaginavam de difícil evolução na atual gestão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia