Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de julho de 2017. Atualizado às 23h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Finanças

Notícia da edição impressa de 11/07/2017. Alterada em 10/07 às 20h54min

Transações com cartão de crédito cresceram 3% em 2016

Uso de dispositivos móveis atingiu 16,7 bilhões de operações

Uso de dispositivos móveis atingiu 16,7 bilhões de operações


/MARCO QUINTANA/JC
O Banco Central (BC) informou ontem que, no ano passado, as transações com cartões de crédito somaram R$ 674 bilhões, o que representa um aumento de 3% em relação a 2015. Já as operações com cartões de débito somaram R$ 430 bilhões, uma alta de 10%. Os dados fazem parte das Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões no Brasil, publicadas pela instituição.
Em número de operações, as transações com cartões de crédito subiram 6% de 2015 para 2016 e atingiram 5,9 bilhões de operações. No caso do cartão de débito, foram 6,8 bilhões de operações, o que representa uma alta de 5%.
O uso de cheques, por sua vez, continua em trajetória de queda. Em 2016, conforme o BC, ocorreram 879 milhões de operações com cheques, o que significa uma baixa de 14% em relação a 2015. O valor envolvido nas operações com cheques foi de R$ 2,259 trilhões, uma queda de 12% em relação ao ano anterior.
Se por um lado o uso do cheque diminui, por outro o de equipamentos móveis, como telefones celulares e tablets, tem crescido. Em 2016, foram realizadas 16,7 bilhões de operações com equipamentos móveis, o que representa 28% do total de transações. Em 2015, este percentual era de 19%.
O principal canal de acesso continua sendo a internet, com a utilização de computadores pessoais. Em 2016, 33% das transações ocorreram desta forma. Já as transações bancárias realizadas em agências ou postos de atendimento somaram 8,1 bilhões de operações, uma redução de 8% em relação a 2015. A participação deste canal passou de 16% em 2015 para 13% em 2016, de acordo com o Banco Central.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia