Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de julho de 2017. Atualizado às 23h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

tecnologia

Notícia da edição impressa de 11/07/2017. Alterada em 10/07 às 20h09min

Ransomware continuará sendo maior ameaça às empresas

O ransomware é, e deve continuar sendo nos próximos anos, a primeira ameaça que vem à mente dos líderes de TI e Segurança & Gestão de Risco. O alerta é do Gartner, que de 8 a 9 de agosto realiza a Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco, que acontece em São Paulo.
No passado, os hackers tinham como alvo específico um indivíduo ou máquina, o que representava um desafio, porém era mais facilmente gerenciável. No entanto, atualmente, os hackers têm na mira organizações inteiras, criptografando diversos dispositivos antes de pedirem o pagamento ou resgate.
"A evolução das táticas de ataques e o aumento da evasão, combinados à falta de profissionais na área, estão criando desafios para os líderes do setor", relata o vice-presidente de Pesquisas do Gartner, Greg Young.
O alto número de dispositivos conectados via Internet das Coisas (IoT) tem criado problemas escaláveis. As ferramentas de segurança existentes já não conseguem mais conter o fluxo de dispositivos que precisam ser monitorados e mantidos seguros, dificultando ainda mais o monitoramento de potenciais vulnerabilidades.
Em um mundo em que as ameaças on-line chegam a cada minuto, as empresas precisarão identificar quais representam maiores riscos e entender como enfrentar esses problemas. "Até 2020, 99% das vulnerabilidades exploradas continuarão sendo aquelas já conhecidas pelos times de Segurança e TI há pelo menos um ano", afirma Young.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia