Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de julho de 2017. Atualizado às 22h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Notícia da edição impressa de 05/07/2017. Alterada em 04/07 às 21h18min

Fiergs lamenta cenário político adverso, mas projeta retomada

Mércio Tumelero recebeu o futuro presidente, Gilberto Petry, e o atual, Heitor Müller, na sede do JC

Mércio Tumelero recebeu o futuro presidente, Gilberto Petry, e o atual, Heitor Müller, na sede do JC


CLAITON DORNELLES /CLAITON DORNELLES/JC
Os problemas e incertezas que rondam o panorama político nacional retardaram a recuperação da economia. No entanto a estimativa da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) é que tanto o Brasil como o Rio Grande do Sul fechem o ano com um incremento de PIB de 0,4% a 0,5%. A opinião é compartilhada pelo atual presidente da entidade, Heitor José Müller, e pelo futuro presidente recém-eleito, Gilberto Porcello Petry.
Müller recorda que, no primeiro trimestre, o País registrou crescimento da economia. No entanto, no segundo trimestre, com a situação política ficando cada vez mais atribulada, houve estagnação. Já Petry comenta que, se não tivessem ocorrido as denúncias do dono da JBS, Joesley Batista, a atividade econômica estaria com um ritmo bem melhor há dois ou três meses. "Com isso, deu uma parada, esperamos que não demore muito para retomar", destaca.
Os dirigentes acreditam que serão aprovadas as reformas da Previdência e trabalhista e argumentam que, se não fossem os escândalos que abalaram Brasília, pelo menos as alterações nas regras do trabalho já teriam sido concretizadas. Ontem, a Fiergs divulgou o mais recente Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS). Embora o indicador tenha crescido 2,4% em maio, na comparação dessazonalizada em relação ao mês anterior, o resultado ainda não representa a esperada reação do setor. A alta foi influenciada pela fraca base de comparação, pois a atividade encolheu em março e abril; e, também, pelo efeito calendário: maio teve quatro dias úteis a mais.
Na tarde desta terça-feira, Müller e Petry entregaram ao diretor-presidente do Jornal do Comércio, Mércio Tumelero, convite para a posse das novas diretorias da Fiergs e do Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Ciergs), que acontecerá no dia 18 de julho.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia