Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de julho de 2017. Atualizado às 22h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Notícia da edição impressa de 05/07/2017. Alterada em 04/07 às 21h17min

Senado aprova urgência da reforma trabalhista

Porta-voz Alexandre Parola exaltou o apoio da base para a aprovação

Porta-voz Alexandre Parola exaltou o apoio da base para a aprovação


/MARCOS CORRÊA/PR/JC
Por 46 votos a 19, os senadores aprovaram, na noite de ontem, a urgência para a tramitação da reforma trabalhista. Após o resultado, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), informou que há um acordo entre líderes partidários para que a votação ocorra na próxima terça-feira, dia 11. A discussão do texto no plenário se iniciará hoje.
Auxiliares do presidente Michel Temer consideram que a aprovação do regime de urgência representa uma demonstração de força política do governo. O placar de ontem nesta votação também serve como um termômetro de quantos votos o Planalto tem para garantir a aprovação da matéria na semana que vem, que precisa do apoio de, pelo menos, 41 parlamentares.
O porta-voz do presidente Michel Temer, Alexandre Parola, fez pronunciamento no Palácio do Planalto para exaltar o apoio da base na aprovação da urgência da reforma trabalhista no Senado e fez uma mensagem em tom otimista, com números que supostamente sustentam a versão do governo de retomada da economia. "O presidente da República congratula-se e agradece a sua base de apoio no Senado Federal pelo importante resultado obtido", afirmou.
Parola destacou que o placar de 46 votos favoráveis e 19 contrários à tramitação em regime de urgência é uma "expressiva margem". "Cerca de 70% dos votos dados. É mais um sinal do comprometimento da base de apoio ao governo com as medidas que estão modernizando o Brasil e nossa economia", disse.
Sem citar a crise política e jurídica vivida pelo presidente, Parola disse que "os resultados concretos" das medidas tomadas por Temer "já se fazem sentir no cotidiano das pessoas e nos números da economia brasileira", e citou indicadores recentes, como um superávit em junho de mais de US$ 7 bilhões. "O Brasil teve, em junho, o melhor resultado para o mês da série histórica, ou seja, desde 1989", afirmou, acrescentando que as exportações cresceram quase 24% em comparação com junho do ano passado.
Parola destacou, ainda, pesquisa divulgada na segunda-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que mostra que as vendas das fábricas brasileiras aumentaram 5,5% em maio. O porta-voz também lembrou que a venda de veículos novos no Brasil subiu 13,49% em junho, o segundo mês de crescimento consecutivo, e que este mercado não apresentava expansão na primeira metade do ano desde 2013. "Dados positivos confirmam o diagnóstico de retomada do crescimento, com geração de empregos e renda", disse.
Segundo Parola, os dados "vêm somar-se aos números já conhecidos de queda da inflação e da taxa de juros, e de redução do desemprego, o que confirma que o País deixou para trás a recessão e está de volta aos trilhos do crescimento e da criação de empregos".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia