Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de julho de 2017. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 05/07/2017. Alterada em 04/07 às 20h54min

Veículos registram primeiro semestre de alta desde 2013

As vendas de carros (automóveis e comerciais leves) cresceram 4,25% nos seis primeiros meses do ano, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), divulgados ontem. É a primeira vez que o setor registra um semestre de expansão de vendas desde 2013. Para o presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior, os juros mais baixos e a redução da taxa de inflação contribuíram para reverter as retrações que se acumulavam nos últimos quatro anos.
No mês passado, foram emplacadas 189.229 mil unidades, contra 190.122 em maio. De acordo com a Fenabrave, o segmento de automóveis e comerciais leves deve dar fôlego ao setor em 2017. As projeções da entidade apontam para um avanço de 4,3%. Se considerada as outras categorias (como ônibus, caminhões e motos), a expectativa é de queda, de 1,6%.
As vendas de caminhões, por exemplo, recuaram 15,6% nos seis primeiros meses do ano, com 21.461 emplacadas. Também houve recuo (7,25%) nas vendas de ônibus. Juntas, essas categorias apresentaram piora de 13,8% na comercialização de modelos. O índice de aprovação de financiamentos dos bancos ainda se mantém baixo e justifica, pelo menos em parte, os números que permanecem em patamares negativos.
A média diária nas vendas de veículos leves para o consumidor pessoa física, em junho, cresceu 9,3% em relação a junho do ano passado, para 5,1 mil unidades. Trata-se do primeiro crescimento nesse tipo de comparação desde janeiro de 2014.
As vendas de veículos usados, em todas as categorias (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros), caíram 4,82% em junho, na comparação com maio. No entanto há uma alta expressiva em junho (9,82%) com relação a junho de 2016. Os emplacamentos também cresceram 8,6% no acumulado entre janeiro e junho ante o mesmo período de 2016.
As concessionárias (cerca de 7,2 mil no País), de acordo com o presidente da Fenabrave, pararam de fechar as portas, movimento que atormentou o setor ao longo de 2016. "Nós tivemos estabilização nesse primeiro semestre de 2017, de maneira muito positiva. Poderá ter um caso ou outro, mas não é uma epidemia", concluiu.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia