Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de setembro de 2017. Atualizado às 21h17.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Leituras

Notícia da edição impressa de 19/09/2017. Alterada em 18/09 às 18h42min

Psicologia

A Psicologia Jurídica insere-se nesse espaço: ela enseja ao operador do Direito desenvolver uma compreensão diferenciada dos elementos que compõem os inúmeros tipos de conflitos. Por meio dela, ampliam-se os limites estabelecidos pela aparente racionalidade dos fatos e da legislação e mergulha-se no campo da investigação dos conteúdos psíquicos que influenciam as ações dos indivíduos e dos grupos. Os conteúdos teóricos, amplamente consolidados nesta obra, propiciam percepções mais aprofundadas das questões emocionais que cercam os envolvidos nos litígios, além dos próprios operadores do Direito, nos diversos campos da seara jurídica. O livro é indicado para profissionais e estudantes de Direito e de Psicologia.

Falências

A Lei nº 11.101/2005 reestruturou o processo de falência, com medidas que podem agilizar sua tramitação e aumentar sua eficiência. Também introduziu, em substituição à concordata, o instituto da recuperação de empresas, judicial e extrajudicial. A obra Comentário à Lei de Falências e de Recuperação Judicial comenta os dispositivos dessa lei, composta por 201 artigos. Partindo da experiência, doutrina e jurisprudência geradas nestes mais de dez anos de vigência da legislação, o autor estuda as normas legais aplicáveis à falência e recuperação, sempre atento aos desdobramentos práticos de sua interpretação. As principais temáticas abordadas são a recuperação judicial, a convolação da recuperação judicial em falências, e a recuperação extrajudicial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia