Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 01 de agosto de 2017. Atualizado às 21h20.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Pesquisa

Notícia da edição impressa de 02/08/2017. Alterada em 01/08 às 19h03min

Capital tem alta no potencial de consumo e de MEIs

Porto Alegre está no topo da maioria dos indicadores econômicos

Porto Alegre está no topo da maioria dos indicadores econômicos


/MARCO QUINTANA/JC
A capital gaúcha ainda pode ser reconhecida por sua pujança econômica, apesar da crise que afeta o País e o Estado. Além do maior potencial de consumo do Rio Grande do Sul, Porto Alegre também registrou um crescimento de cerca de 10% nesse indicador em relação ao ano passado. A comparação pode ser obtida a partir da análise do Perfil das Cidades Gaúchas, um estudo exclusivo elaborado pelo Sebrae-RS, que compila 62 indicadores das 497 cidades do Estado. Para cada localidade está disponível uma publicação digital exclusiva, com dados, gráficos e comparativos no link https://goo.gl/6A8iiK.
A principal novidade deste ano é a inclusão dos indicadores do setor agrícola. Para o diretor-superintendente do Sebrae-RS, Derly Fialho, as informações são essenciais para a competitividade de um Estado que tem na área rural uma de suas principais forças. "Os números tornam-se ainda mais interessantes quando se analisa a conjuntura atual de supersafra de grãos, que deve injetar R$ 29 bilhões à economia gaúcha, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), referentes a junho", destaca.
Neste novo segmento estão números ligados ao rendimento médio por hectare, por exemplo, que destaca nove municípios da serra gaúcha na lista dos 10 primeiros colocados. O perfil também apresenta dados sobre área plantada, valor total da produção e os municípios com maior criação de gado bovino, bubalino, ovinos, galináceos, entre outros.
Porto Alegre, que possui uma pequena área rural se comparada aos setores de comércio e serviços, não aparece com destaque nos dados agrícolas, mas está no topo da maioria dos indicadores econômicos. "A capital gaúcha não só é a primeira colocada em potencial de consumo no Estado, como também registrou um crescimento nesse valor, que passou de R$ 44,55 bilhões em 2016 para uma estimativa de mais de R$ 48 bilhões em 2017", informa o gerente de Gestão Estratégica do Sebrae-RS, André Campos, responsável pelo estudo. Sozinha, Porto Alegre registra um potencial de consumo maior do que cinco grandes cidades do Estado somadas: Caxias do Sul, Canoas, Santa Maria, Pelotas e Gravataí.
Outro dado que se observa é a expansão do número de Microempreendedores Individuais (MEIs), que passavam de 57 mil até junho de 2017, um aumento de 19,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. No entanto, embora seja destaque em negócios de pequeno porte, o município ainda concentra suas compras públicas em grandes empresas e ocupa o penúltimo lugar nesse ranking, com 12,18% de aquisições de MPEs, só perdendo para Sapucaia do Sul, a última colocada. "Isso mostra que há um mercado a explorar para os pequenos negócios e também uma oportunidade para o poder público, de estimular o desenvolvimento econômico e as micro e pequenas empresas locais", analisa Campos.
A observação dos números da capital do Estado também aponta um dado preocupante: o aumento do índice de mortalidade infantil. Em 2012, a cidade havia registrado 9,2 mortes para cada mil nascimentos. "No último levantamento, de 2014, foram 9,8 óbitos para cada mil nascimentos, ainda dentro do patamar aceitável pela Organização Mundial de Saúde, mas que serve de alerta para as autoridades", ressalta o gerente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia