Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de junho de 2017. Atualizado às 17h44.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

20/06/2017 - 17h46min. Alterada em 20/06 às 17h47min

Primeira Turma do STF decide soltar ex-assessor de Perrella

Por três votos a dois, os ministros da 1.ª Turma do Supremo Tribunal Federal mandaram soltar Mendherson Lima, ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB/MG), que estava preso desde 18 de maio, quando foi deflagrada a Operação Patmos - desdobramento da Lava Jato que investiga suposta propina de R$ 2 milhões da JBS para o senador Aécio Neves (PSDB/MG).
Mendherson teria ficado com parte dos R$ 2 milhões, segundo a investigação, ao menos R$ 480 mil.
Os ministros mandaram soltar o ex-assessor, mas a ele impuseram medidas cautelares, como uso de tornozeleira eletrônica.
Votaram pela liberdade de Mendherson os ministros Marco Aurélio Mello, relator, Alexandre de Moraes e Luiz Fux.
Votaram pela permanência do ex-assessor na cadeia da Lava Jato os ministros Luís Roberto Barroso e Rosa Weber, vencidos.
O julgamento que livrou Mendherson antecede o julgamento do pedido da Procuradoria-Geral da República que insiste na decretação da prisão do senador Aécio Neves.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia