Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de junho de 2017. Atualizado às 18h38.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

ministério público federal

Notícia da edição impressa de 20/06/2017. Alterada em 19/06 às 21h28min

Moro pede condução coercitiva de testemunha de executivo da Odebrecht

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou ontem a condução coercitiva de Manoel Joaquim Pinto da Costa, testemunha de defesa do ex-executivo da Odebrecht Paulo Ricardo Baqueiro de Melo, em ação penal que também tem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como réu. A defesa de Baqueiro pediu a desistência da testemunha em 14 de junho. Costa foi designado para prestar depoimento ontem, às 9h30, por meio de videoconferência, direto de Salvador.
"Ausente injustificadamente a testemunha Manoel Joaquim Pinto da Costa. Designe a Secretaria nova data, solicitando condução coercitiva", escreveu Moro em despacho. Com a condução coercitiva, Costa será levado para prestar o depoimento. O depoimento integra o processo em que Lula é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de pedir propina em forma de benefícios à Odebrecht, como um apartamento vizinho ao que mora atualmente, em São Bernardo do Campo (SP), e um prédio que sediaria o Instituto Lula, em São Paulo.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia