Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de junho de 2017. Atualizado às 18h08.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

Alterada em 19/06 às 18h09min

Kassab diz que o País vai atravessar a crise política

Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD) disse ser um otimista e que o País vai atravessar a crise política, aprofundada após Joesley Batista, um dos sócios do frigorífico JBS, conceder entrevista à revista Época, na qual acusa o presidente Michel Temer de chefiar o que chamou de "a quadrilha mais perigosa do Brasil".
Sobre os efeitos das acusações do delator à Procuradoria-Geral da República (PGR), no âmbito da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, o ministro afirmou que o importante é que as instituições estejam funcionando. Kassab admite que a crise política é grave, porque, em sua opinião, envolve temas muito difíceis de serem abordados. Mas, segundo ele, a expectativa é de retorno à normalidade.
Kassab participa de evento comemorativo dos 50 anos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), no Museu do Amanhã, no Rio. Antes do evento, o ministro afirmou ainda que, no caso dos setores de tecnologia e de comunicação, os reflexos da crise são menores.
"A crise política não ajuda nenhum setor, mas o nosso tem a peculiaridade de não parar nunca, então, o impacto é menor na nossa área", afirmou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia