Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de junho de 2017. Atualizado às 15h02.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo Federal

16/06/2017 - 14h42min. Alterada em 16/06 às 15h09min

Ministro interino da Cultura pede demissão do cargo

"Comunico, respeitosamente, meu desinteresse em ser efetivado como ministro da Cultura", diz trecho da carta divulgada nas redes sociais do Ministério da Cultura

"Comunico, respeitosamente, meu desinteresse em ser efetivado como ministro da Cultura", diz trecho da carta divulgada nas redes sociais do Ministério da Cultura


VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Agência Brasil
O ministro interino da Cultura, João Batista de Andrade, pediu hoje (17) demissão do cargo. Em carta enviada ao presidente Michel Temer, Andrade afirma não ter interesse em ser efetivado no comando da pasta.
"Comunico, respeitosamente, meu desinteresse em ser efetivado como ministro da Cultura", diz trecho da carta divulgada nas redes sociais do Ministério da Cultura. "Assim sendo, confirmo minha disposição para contribuir da forma mais proativa possível com a transição de gestão no Ministério da Cultura, até a nomeação dos próximos ministros da Cultura e seu secretário executivo", acrescenta o texto.
Então secretário executivo da Cultura, Andrade assumiu interinamente o cargo de ministro em maio, após o deputado Roberto Freire (PPS-PE) anunciar a saída da pasta. À época, Freire atribuiu a decisão ao fato de Michel Temer não ter renunciado à Presidência, como foi sugerido pelo PPS, após vir a público o conteúdo da delação premiada do empresário Joesley Batista, dono da JBS.
Procurado, o Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o pedido de demissão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia