Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de junho de 2017. Atualizado às 13h32.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

senado

14/06/2017 - 12h58min. Alterada em 14/06 às 13h33min

Senado retira nome de Aécio do painel de votações

Ordem para que Aécio ficasse longe do Senado foi dada há cerca de um mês

Ordem para que Aécio ficasse longe do Senado foi dada há cerca de um mês


Geraldo Magela/AGÊNCIA SENADO/JC
A Mesa Diretora do Senado retirou o nome do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) da relação de senadores que constam no painel de votações do plenário. A decisão ocorre após o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), acusar a direção da Casa de descumprir a determinação sobre o afastamento do tucano.
A ordem para que Aécio ficasse longe do Senado foi dada há cerca de um mês, pelo ministro Edson Fachin, que autorizou buscas e operações em endereços do senador na Operação Patmos.
Na terça-feira, 13, após encontro com a ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, e com o próprio Fachin, Eunício disse que aguardava o detalhamento da decisão. "Comuniquei ao senador Aécio a decisão do STF de afastá-lo. Não tem previsão regimental, constitucional de afastamento pela Justiça. Cabe ao ministro Fachin determinar a forma do afastamento e eu cumprirei a decisão complementar", afirmou Eunício Oliveira.
Hoje, após ser indagado sobre a retirada do nome durante a sessão pelo senador Lindbergh Farias (PT-RJ), Eunício disse que a medida se deu para "deixar claro" que o Senado não descumpriu a determinação do STF. "Reclamaram tanto, fotografaram tanto, que o Senado que a Mesa Diretora decidiu retirar", afirmou. "É para deixar bem claro que a Mesa Diretora não descumpriu. Antes estava bloqueado, agora está apagado. Não há novidade nisso."
Quando a sessão está aberta, o nome dos presentes aparece com mais destaque, grafado em branco, enquanto o dos ausentes é mostrado como se estivesse apagado. No caso de Aécio, o nome continuava a aparecer no painel mesmo após a decisão, mas foi retirado na sessão de hoje.
O site do Senado também foi atualizado com a retirada do nome de Aécio Neves da lista de senadores em exercício. O nome do parlamentar, agora, é o primeiro da relação de parlamentares fora de exercício e consta como "afastamento por decisão judicial".
Aécio foi afastado do cargo de senador no dia 18 de maio, após a deflagração da Operação Patmos. O pedido foi feito pela Procuradoria-Geral da República e acatado por Fachin. Depois disso, o processo foi redistribuído a Marco Aurélio. A PGR também pede a prisão do senador tucano.
O tucano é acusado pelos crimes de corrupção e obstrução de Justiça. Ele foi gravado pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS, pedindo propina e falando em medidas para barrar o avanço da Operação Lava Jato.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia