Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de junho de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 06/06/2017. Alterada em 05/06 às 21h19min

CPI da Telefonia Móvel é instalada no Parlamento

Adeli (à esquerda) será o relator e Nagelstein o presidente

Adeli (à esquerda) será o relator e Nagelstein o presidente


LEONARDO CONTURSI/CMPA/JC
Carlos Villela, especial para o JC
A Câmara Municipal teve, nesta segunda-feira, a instalação da primeira Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da legislatura, que foca a qualidade do serviço de telefonia móvel em Porto Alegre.
A comissão, proposta pelo vereador Valter Nagelstein (PMDB), teve assinatura de todos os 36 parlamentares da casa a favor de sua instalação. De acordo com Nagelstein, a baixa qualidade nos serviços de telefonia é um problema que o preocupa, como casos nos quais dados móveis do pacote são pagos pelo consumidor, mas não se consegue determinar se esses dados são realmente utilizados ou oferecidos em sua integralidade.
O vereador dá como exemplo a diferença entre o período da Copa do Mundo e agora, quando as empresas de telefonia iriam aumentar o serviço em Porto Alegre, mas houve uma nova queda de qualidade.
Na Copa em 2014, na qual antenas foram instaladas para atender às demandas e ao elevado número de turistas, teve um foco em instalar provisoriamente estruturas para fornecer sinal perto do estádio Beira-Rio. Em 2015, a companhia telefônica Oi foi notificada pelo Procon e proibida de vender linhas telefônicas por um mês por conta do nível de reclamações a respeito do serviço oferecido.
As reuniões da CPI da Telefonia Móvel, que serão nas manhãs das quartas-feiras, convidarão representantes de órgãos como Procon, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil e agências reguladoras, além de empresas de telefonia móvel, para dar esclarecimentos. A CPI tem um prazo de seis meses para terminar os trabalhos e apresentar as conclusões sobre a qualidade dos serviços, além de buscar responsáveis caso se comprovem os problemas nesse serviço.
Nagelstein será o presidente da CPI, e Roberto Robaina (PSOL), o vice. O vereador Adeli Sell (PT) foi escolhido relator, e Wambert Di Lorenzo (Pros), o relator adjunto. Também integram a Comissão os vereadores Felipe Camozzato (Novo), Cassiá Carpes (PP), José Freitas (PRB), Luciano Marcantônio (PTB), Rodrigo Maroni (PR), Mauro Pinheiro (Rede) e Mauro Zacher (PDT).
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia