Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de junho de 2017. Atualizado às 23h06.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações diplomáticas

Notícia da edição impressa de 30/06/2017. Alterada em 29/06 às 21h24min

Trump se reunirá com Putin no dia 7

A Casa Branca anunciou, nesta quinta-feira, que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai se reunir pela primeira vez com o presidente russo, Vladimir Putin. O encontro deve ocorrer durante a cúpula do G-20, que começa no dia 7 de julho em Hamburgo, na Alemanha.
O conselheiro de Segurança Nacional de Trump, H.R. McMaster, afirmou que Putin será um dos "vários líderes mundiais" que o presidente dos EUA irá encontrar durante a cúpula. "Como o presidente esclareceu, ele gostaria que os Estados Unidos e os líderes de todo o Ocidente desenvolvessem uma relação mais construtiva com Moscou", disse o principal conselheiro de Trump. "Mas ele também deixou claro que fará o necessário para confrontar o comportamento desestabilizador da Rússia."
A reunião entre os líderes será realizada em meio a investigações do FBI (Polícia Federal dos EUA) sobre o suposto elo de assessores de Trump com autoridades russas durante as eleições norte-americanas em 2016. Na ocasião, o vazamento de quase 20 mil e-mails de servidores da direção do Partido Democrata levantou suspeitas de que o governo russo estaria tentando interferir na eleição presidencial vencida pelo republicano.
Em maio, Michael Flynn foi demitido do cargo de conselheiro de Segurança após a revelação de que havia discutido com o embaixador russo, antes mesmo de Trump tomar posse, sobre a possibilidade de levantar as sanções aplicadas pelos Estados Unidos contra Moscou.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia