Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de junho de 2017. Atualizado às 22h47.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Imigração

Notícia da edição impressa de 06/06/2017. Alterada em 05/06 às 20h00min

Trump critica Justiça e diz que manterá veto

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, utilizou sua conta no Twitter para criticar o Judiciário do país por dificultar a implementação do decreto anti-imigração. O republicano também sinalizou que, independentemente de como as Cortes tratarem o caso, a Casa Branca vai ser bastante dura com imigrantes.
"As pessoas, advogados e Cortes podem tratar isto (o decreto anti-imigração) da forma como quiserem, mas eu o chamo pelo seu nome, que é veto a viagens!", escreveu Trump. "Independentemente do que acontecer, iremos aplicar um veto extremo aos que quiserem vir aos EUA como forma de manter nosso país seguro. As Cortes são lentas e políticas!", continuou.
Os comentários acontecem dois dias após o atentado que deixou sete mortos e 48 feridos em Londres, reivindicado pelo Estado Islâmico. Desde sábado, o republicano tem utilizado as redes sociais para comentar o incidente e defender suas medidas para barrar a entrada de imigrantes nos EUA.
O presidente também criticou o Departamento de Justiça por ter enviado uma versão diluída e "politicamente correta" do decreto para apreciação da Suprema Corte. O texto foi alterado porque a primeira versão foi barrada em instâncias inferiores do Judiciário logo após a publicação. Entre outras coisas, ela previa a proibição da entrada de pessoas nos EUA originárias de sete países de maioria muçulmana - Iraque, Síria, Irã, Sudão, Líbia, Somália e Iêmen.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia