Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de junho de 2017. Atualizado às 23h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

tecnologia

Notícia da edição impressa de 27/06/2017. Alterada em 26/06 às 21h06min

Brasil perde posições em investimentos em TI

O balanço mundial de investimentos em TI mostra alta de 2% em 2016 em comparação a 2015, atingindo US$ 2,03 trilhões. Já no Brasil, os investimentos para este setor apresentaram desaceleração, impacto direto da crise econômica e da valorização do dólar no período, somando US$ 38 bilhões. O recuo foi de 3,6% em relação a 2015.
Para 2017, a previsão é de uma recuperação no crescimento do setor no Brasil na ordem de 6,7%, o dobro do crescimento previsto para o mundo. Os dados fazem parte do estudo anual Mercado Brasileiro de Software e Serviços da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes), em parceria com o IDC.
Pela primeira vez em 12 anos, o Brasil perdeu duas posições no ranking mundial e passou de 7º para 9º lugar. Desde o primeiro levantamento, em 2005, o País vinha se mantendo na sétima posição. Na América Latina, o Brasil mantém a liderança em investimentos no setor, que representam 36,5% do total de US$ 105,3 bilhões.
"Mesmo com a queda nos investimentos, o Brasil ainda ocupa um lugar importante. Estamos no mesmo grupo de países como Alemanha, Estados Unidos e França, o que mostra a relevância do mercado interno de TI", aponta o presidente do Conselho da Abes, Jorge Sukarie.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia