Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de junho de 2017. Atualizado às 08h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 23/06 às 09h00min

Cobre opera em alta, diante de sinais positivos da demanda da China

O cobre opera com ganhos nesta sexta-feira (23), em meio à desvalorização do dólar e a sinais de demanda da China, maior consumidora global do metal.
Perto das 8h (de Brasília), o cobre para três meses subia 1,54%, a US$ 5.829 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). Às 8h21, o cobre para julho avançava 1,27%, a US$ 2,6320 a libra-peso, na Comex.
O dólar está um pouco mais fraco em geral nesta manhã, o que tende a apoiar as commodities denominadas nessa moeda, já que o movimento no câmbio torna-as mais baratas para os detentores de outras divisas.
Além disso, estatísticas fortes de importação de metais básicos da China ajudam o cobre a avançar, segundo Xiao Fu, diretor de estratégia de mercado de commodities da BOCI Global Commodities. Segundo dados compilados pela corretora, as importações de cobre refinado e liga de cobre subiram 31% em maio ante abril na China, embora tenham recuado 17% na comparação anual.
Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco subia 1,47%, a US$ 2.731 a tonelada, o alumínio avançava 0,32%, US$ 1.876 a tonelada, o chumbo tinha alta de 0,70%, a US$ 2.219 a tonelada, o estanho subia 0,68%, a US$ 19.335 a tonelada, e o níquel tinha ganho de 1,27%, a US$ 9.155 a tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia