Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de junho de 2017. Atualizado às 10h31.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 21/06 às 10h35min

Dólar cai com exterior e realização de lucro

O dólar abriu em queda no mercado doméstico, em linha com o viés externo em meio à recuperação do petróleo nesta quarta-feira. O aumento da oferta da moeda norte-americana também é induzido pelos ganhos acumulados em 2,63% no mês até a terça-feira, quando retomou o nível de R$ 3,33.
Tesourarias de bancos e alguns exportadores destacam-se na venda desde a abertura da sessão, disse um operador de câmbio. Às 9h25, o dólar à vista estava na mínima, aos R$ 3,3186 (-0,40%). O dólar futuro para julho recuava 0,33%, na mínima aos R$ 3,3235.
Um operador de uma corretora de câmbio afirmou que, apesar desse recuo, o mercado poderá inverter a direção para alta. No Senado, já começou a sessão extraordinária da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para apresentar relatório da reforma trabalhista.
Até 9h20, havia quórum de 11 senadores. Há pouco, senadores da oposição questionaram falta de audiência pública sobre reforma trabalhista na CCJ.
Além disso, a partir das 14 horas, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) discutirá a validade da delação dos executivos do Grupo J&F.
O resultado do julgamento deve trazer parâmetros sobre a atuação do juiz no processo de homologação de delações premiadas e revisão de acordos. A expectativa no mercado é de que a Corte tenha maioria para confirmar a constitucionalidade das medidas tomadas pelo relator, ministro Edson Fachin, e que as delações sejam mantidas, disse o mesmo operador.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia