Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de junho de 2017. Atualizado às 00h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 21/06/2017. Alterada em 20/06 às 20h25min

Preços das frutas caem nos mercados atacadistas

Aumento gradual da oferta permitiu desvalorização

Aumento gradual da oferta permitiu desvalorização


/PAUL J. RICHARDS/AFP/JC
Os preços das frutas tiveram queda nos principais mercados atacadistas do País. Já entre as hortaliças, houve um aumento de preço, principalmente da batata e da cebola. As informações são do boletim mensal, referente a maio, com os preços médios das principais frutas e hortaliças comercializadas nas Centrais de Abastecimento (Ceasas), divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
Os preços de banana, laranja, maçã, mamão e melancia seguem apresentando queda no mês de maio. Segundo a Conab, a boa safra nos estados produtores já vinha possibilitando um aumento gradual da oferta nos últimos meses, e a tendência deve ter continuidade no próximo trimestre.
A queda do preço do mamão, por sua vez, foi pressionada pela alta produção no Espírito Santo e no Sul da Bahia. O recuo foi observado em todas as Ceasas analisadas, principalmente em Minas Gerais, que teve a maior baixa percentual, de 41,7%. "A grande oferta serviu para abastecer todo o mercado interno com preços menores e ainda direcionar parte da safra à exportação", diz o boletim da companhia.
No caso da laranja e da maçã, que já apresentavam um histórico de preços mais baixos, a intensificação da colheita proporcionou uma queda ainda maior, de 22% e 23%, nas Ceasas de Goiânia e Belo Horizonte, respectivamente. A melancia, que estava com preços altos nos boletins anteriores devido ao fim da safra em São Paulo, começou a baixar graças ao início da colheita no interior de Goiás.
A tendência de recuo seguiu também em frutas regionais, como atemoia, que teve queda de 19%; a tangerina, de 16%; e a goiaba e o limão, ambas de 14%. O boletim mostra que não houve aumento significativo de preços nas hortaliças em geral, exceto batata e cebola, que ficaram mais caras em alguns estados devido à entressafra. O tomate e o alface tiveram queda na maioria das Ceasas, enquanto o preço da cenoura diminuiu em todas as unidades analisadas no País. Outras hortaliças também apresentaram recuo geral nos preços, como agrião, que teve uma redução de 20%; beterraba, de 19%; e abobrinha, de 18%.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia