Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 17 de junho de 2017. Atualizado às 19h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

17/06/2017 - 19h05min. Alterada em 17/06 às 19h26min

WhatsApp vai parar de funcionar em celular antigo e recebe notificação

Aplicativo quer parar de atualizar a ferramenta para diversos modelos de aparelhos

Aplicativo quer parar de atualizar a ferramenta para diversos modelos de aparelhos


Patrícia Comunello/Especial/JC
Agência Folhapress
O WhatsApp recebeu uma notificação da associação de defesa do consumidor Proteste, às vésperas da data anunciada pela empresa para suspensão do serviço em aparelhos antigos. Em fevereiro de 2016, o WhatsApp anunciou que deixaria de dar suporte a dispositivos com as seguintes plataformas: BlackBerry OS e BlackBerry 10, Nokia S40, Nokia Symbian S60, Android 2.1 e Android 2.2, Windows Phone 7 e iPhone 3GS/iOS 6.
O prazo dado era até o fim de 2016, mas a empresa controlada pelo Facebook estendeu o limite para os sistemas operacionais BlackBerry OS, BlackBerry 10, Nokia s40 e Symbian S60 até o dia 30 de junho deste ano. De acordo com a Proteste, trata-se de um desrespeito ao consumidor, especialmente para quem escolhe utilizar um aparelho mais antigo com acesso ao serviço de telefonia provido por todas as operadoras no país.
Segundo a entidade, a decisão fere o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor no inciso 9º, que diz: "recusar a venda de bens ou a prestação de serviços, diretamente a quem se disponha a adquiri-los mediante pronto pagamento, ressalvados os casos de intermediação regulados em leis especiais."
Em nota, o diretor de Relações Institucionais da Proteste, Henrique Lian, explica que uma vez que o aparelho funciona normalmente, a atualização é um direito do consumidor. O WhatsApp afirma que foi um decisão difícil de ser feita, mas que estão pensando no futuro e vão concentrar os esforços nas plataformas de celular que a maioria das pessoas utilizam. "Por mais que esses aparelhos celulares tenham feito uma importante parte em nossa história, eles não possuem a capacidade requerida para que possamos expandir os recursos de nosso aplicativo no futuro", diz empresa em seu blog.
O aplicativo de mensagem instantânea conta com cerca de 1,2 bilhão de usuários no mundo. No Brasil, a marca de 120 milhões já foi batida. A reportagem não conseguiu contato com a empresa até a publicação deste texto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia