Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de junho de 2017. Atualizado às 17h45.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio exterior

13/06/2017 - 17h34min. Alterada em 13/06 às 17h48min

Exportações gaúchas ficam estáveis em maio

Veículos automotores embarcados pela GM para a Argentina puxaram desempenho

Veículos automotores embarcados pela GM para a Argentina puxaram desempenho


JONATHAN HECKLER/JC
As exportações do Rio Grande do Sul somaram US$ 1,79 bilhão em maio, com avanço de apenas 0,6%, segundo dados do Ministério de Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). As commodities somaram US$ 718 milhões, com recuo de 1,1%. A indústria de transformação somou US$ 1,05 bilhão, alta de 1,2%, enquanto o Brasil teve alta de 4,5%.
Veículos automotores, reboques e carrocerias lideraram em maiores vendas, com alta de 75,6%, seguidos por produtos de metal (42,9%) e químicos (5,8%). As influências negativas foram de alimentos (-14,4%), com embarques menores de óleo de soja (-75,6%) e de carne de frango in natura (-12,1%). Outros destaques negativos ficaram por conta de celulose e papel (-30,3%) e máquinas e equipamentos (-26,7%). 
No acumulado dos cinco primeiros meses de 2017, as vendas externas gaúchas atingiram US$ 6,61 bilhões, elevação de 12,1% em relação ao mesmo período de 2016. A indústria somou US$ 4,67 bilhões, alta de 6,1% e representando 70,7% das divisas. Veículos automotores, reboques e carrocerias, com avanço de 63,5%, mantiveram a liderança no desempenho, seguidos por químicos (17%) e alimentos (4,9%). Já tabaco caiu 30,7% em receita, celulose e papel recuou 21,5% e máquinas e equipamentos tiveram queda de 6,9%.
Os principais destinos em maio foram China, com lata de 3% e comprando US$ 671,6 milhões, principalmente soja; Argentina com alta de 61,6% e conta de US$ 171,6 milhões - com veículos automotores liderando, e Estados Unidos que compraram 22,8% mias e somaram divisas de US$ 115,2 milhões. Armas de fogo foram o principal produto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia