Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de junho de 2017. Atualizado às 16h16.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Notícia da edição impressa de 13/06/2017. Alterada em 13/06 às 16h16min

Falta de experiência é barreira para os jovens

Coordenador do estudo diz que empresas precisam acolher e desenvolver os mais novos

Coordenador do estudo diz que empresas precisam acolher e desenvolver os mais novos


CLAITON DORNELLES /JC
Pesquisa realizada pelo portal de carreiras Vagas.com com 682 jovens em busca ou em seu primeiro trabalho, indica que a falta de experiência é a principal barreira ao emprego para esse grupo. Mais de dois terços (67%) dos entrevistados disseram não possuir a experiência profissional exigida pelas empresas. Para 30%, a existência de muitos candidatos por vaga é uma grande dificuldade e 18% responderam que as empresas estão exigindo qualificações que não possuem.
"É fato que os mais novos possuem pouca experiência até pela idade e tempo no mercado. Então, temos um problema a ser enfrentado. As empresas precisam olhar para esse público de outra forma e levar em consideração que ele precisa ser acolhido e desenvolvido de acordo com seu estágio de carreira. Só assim conseguiremos diminuir esse déficit com os mais novos", avalia Rafael Urbano, coordenador do estudo.
A pesquisa Mercado de trabalho - Primeiro emprego foi realizada de 3 a 10 de abril deste ano, por e-mail, contemplando homens e mulheres, de 14 a 30 anos que nunca trabalharam e buscam oportunidades ou que estão em seu primeiro emprego. Foram enviados questionários para 1.445 currículos cadastrados no portal, de pessoas dessa faixa etária. Das 682 pessoas que responderam, a maioria é mulher (64%), possui idade média de 20 anos, é solteira (97%), cursa faculdade (52%) e mora com os pais ou algum parente (89%).
Para aumentar as chances de colocação no mercado de trabalho, 88% dos entrevistados disseram que estão tomando alguma atitude. Quase dois terços (60%) responderam que estão cadastrando currículos em sites de emprego, 51% fazendo matrícula ou estão matriculados em um curso, 36% estudando por conta própria e 8% fazendo networking.
"Chamou atenção que, mesmo a pessoa não tendo recursos para fazer cursos de especialização, de excel, apresentações e power point e marketing digital, por exemplo, elas conseguem encontrar cursos na internet e estudar por conta própria. E é o tipo de atitude valorizada pelas empresas, que buscam pessoas que querem aprender e dão um jeito disso acontecer", analisa Urbano.
Conquistar a independência financeira é a principal motivação para a obtenção do primeiro emprego. O estudo mostra que 53% dos entrevistados apontam que pretendem começar a se sustentar ao serem empregados. Aprender e aprimorar conhecimentos foi apontado por 32%. Outros motivos, como pagar a faculdade e ajudar os pais, 6%. Em 4% das respostas, para "se sentir útil".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia