Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de junho de 2017. Atualizado às 17h56.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 12/06 às 17h58min

Bolsas de Nova Iorque fecham em baixa, com setor de tecnologia pressionado

As bolsas de Nova York fecharam em queda nesta segunda-feira, com o setor de tecnologia pressionado pela segunda sessão consecutiva, em meio a dúvidas sobre se as ações do segmento não estariam excessivamente valorizadas.
O índice Dow Jones fechou em queda de 0,17%, em 21.235,67 pontos, o Nasdaq recuou 0,52%, a 6.175,46 pontos, e o S&P 500 teve baixa de 0,10%, a 2.429,39 pontos.
A fraqueza do setor de tecnologia começou na sexta-feira e se prolongou no início desta semana, após alguns bancos e outros agentes do mercado começarem a questionar se o patamar de valorização dos papéis não seria excessivo, já que um número significativo deles registra ganhos na casa dos dois dígitos neste ano, superando os do mercado em geral.
Hoje, Apple caiu 2,46%, Facebook teve baixa de 0,78%, Alphabet, controladora do Google, recuou 0,86%, Microsoft caiu 0,77% e Netflix perdeu 4,17%. Essas ações, que formam o grupo chamado de "FAANG" por investidores, perderam juntas US$ 125,91 bilhões em valor de mercado nos dois últimos dias.
Os papéis do setor de energia, por outro lado, tiveram uma sessão positiva, em dia de alta do petróleo. A commodity teve recuperação, depois de uma semana fraca.
Investidores estão ainda na expectativa pela decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), na quarta-feira. A aposta praticamente unânime do mercado é que o BC dos EUA decidirá elevar a taxa de juros. Haverá ainda projeções atualizadas e entrevista coletiva da presidente do Fed, Janet Yellen. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia