Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de junho de 2017. Atualizado às 17h50.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

fiscalização

Alterada em 12/06 às 17h53min

CVM vai julgar José Gabrielli e Graça Foster por operação na Petrobras

Agência O Globo
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que regula o mercado de capitais no Brasil, informou nesta segunda-feira que vai julgar no dia 11 de julho os ex-presidentes da Petrobras Maria das Graças Foster e José Sérgio Gabrielli em processo que apura supostas irregularidades na oferta de ações realizada para capitalização da estatal em 2010. Estão também citados no processo, além da própria petroleira e do Bradesco BBI, que lideriou a operação, o ex-diretor Financeiro da estatal, Almir Barbassa e um executivo do banco, Bruno Boeger.
O processo da CVM apura eventuais irregularidades na divulgação de informações no prospecto da oferta, documento que estabelece as regras durante as emissões das ações. O texto informava que os acionistas que comprassem as ações preferenciais oferecidas não teriam direito a voto em assembleias da empresa, com uma exceção: se ficassem três anos seguidos sem pagar dividendos aos donos de ações preferenciais.
Está se considerando uma falha na comunicação que pode ter levado os investidores ao erro. A avaliação preliminar da CVM foi de que a Petrobras poderia ter sido mais clara sobre o fato de que as ações preferenciais jamais poderiam ter direito a voto, como alegou ao ser acionada em 2015.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia