Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de junho de 2017. Atualizado às 17h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

energia

Alterada em 12/06 às 17h26min

Demanda de energia pode crescer até 2,5% este ano, estima Ministério

Agência Brasil
A demanda por energia pode crescer entre 1,5% e 2,5% neste ano no país. De acordo com o Boletim Mensal de Energia, divulgado nesta segunda-feira (12) pelo Ministério de Minas e Energia, até março a oferta interna de energia cresceu 1,5%.
"Os indicadores de março de 2017, da produção industrial e de usos da energia, sinalizam pequena recuperação da economia", diz o documento. Ainda segundo o boletim, a tarifa média nacional de eletricidade residencial recuou 6,1% até março. A tarifa comercial recuou 6,5% e a industrial caiu 7,2%.
A energia eólica deve responder por 6,6% da matriz de oferta elétrica de 2017. No ano passado, a força gerada por ventos representou 5,4% da matriz. A oferta de energia hidráulica acumulou alta de 7,6% até março, mas recuou 4,1% sobre fevereiro.
A produção de petróleo acumula alta de 14,4% até março, se comparado ao mesmo período de 2016. A produção de aço também acumula alta de 12,1%. Já a produção de biodiesel cresceu 3,5% em março.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia