Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 02 de junho de 2017. Atualizado às 10h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Imobiliário

Alterada em 02/06 às 10h06min

Preço anunciado de imóveis residenciais cai 0,16% em maio, maior recuo desde 2012

Após ficar próximo da estabilidade, mercado imobiliário voltou a cair de modo significativo

Após ficar próximo da estabilidade, mercado imobiliário voltou a cair de modo significativo


CLAITON DORNELLES/ARQUIVO/JC
O preço dos imóveis residenciais no País caiu 0,16% na comparação de maio com abril, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), feita com base nos anúncios de 20 cidades no site Zap Imóveis. Essa é a maior queda mensal já registrada pela pesquisa, que teve início em 2012.
O resultado de maio mostra que o mercado imobiliário voltou a cair de modo significativo após ficar próximo da estabilidade nos meses anteriores, quando teve leves recuos de 0,01% em abril e 0,04% em março.
Entre janeiro e maio, os preços tiveram retração de 0,08%, enquanto nos últimos 12 meses encerrados em maio, os valores dos imóveis acumulam alta de 0,46%.
Os dados evidenciam uma desvalorização real do mercado imobiliário, já que as oscilações são inferiores à inflação medida pelo IPCA. Em maio, a inflação estimada é de 0,46%, e em 12 meses, 3,75%, de acordo com o Boletim Focus, do Banco Central.
No último mês, 13 das 20 regiões cobertas pela pesquisa tiveram queda nominal dos preços anunciados, entre as quais: Recife (-0,64%), Rio de Janeiro (-0,48%) e Belo Horizonte (-0,36%). Entre as 7 regiões que registraram alta nominal estão Santos (0,44%), Goiânia (0,35%) e São Paulo (0,03%). Em nenhuma das cidades pesquisadas, o preço teve uma alta acima da inflação.
O valor médio do metro quadrado dos imóveis residenciais anunciados nas 20 cidades foi de R$ 7.682. O Rio de Janeiro se manteve como a cidade com o metro quadrado mais caro do País (R$ 10.132), seguida por São Paulo (R$ 8.683) e Distrito Federal (R$ 8.435).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia