Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de maio de 2017. Atualizado às 17h38.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

18/05/2017 - 17h31min. Alterada em 18/05 às 17h40min

Ministro da Cultura, Roberto Freire, pede demissão do cargo

Freire entregará uma carta ao presidente Michel Temer ainda nesta quinta-feira

Freire entregará uma carta ao presidente Michel Temer ainda nesta quinta-feira


MARCO QUINTANA/JC
Agência O Globo
 O ministro da Cultura e presidente do PPS, Roberto Freire, pediu demissão. Ele entregará uma carta ao presidente Michel Temer no fim da tarde desta quinta-feira. Mais cedo, Freire havia defendido eleições indiretas caso o governo não tivesse "condições de governar".
"Quem tem que decidir é o Congresso. Se o governo não tiver condições de governar, tem que entregar ao Congresso. É o que diz a Constituição Federal", declarou Roberto Freire.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, também é da sigla, mas ainda não anunciou exoneração.
Freire havia dito também que as denúncias a Temer são "graves" e pediu uma "solução o mais rápido possível". Se saísse, disse o chefe da Cultura, isso seria feito com "tranquilidade".
"Temos de ter cuidado para não pensar só em nós e esquecer o país. Não podemos fazer o que nos dá na telha. Mas se for necessário, saímos (ele e Jungmann) com a maior tranquilidade", completou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia