Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 14 de maio de 2017. Atualizado às 22h33.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

partidos

Notícia da edição impressa de 15/05/2017. Alterada em 14/05 às 21h39min

Evento do PT relembra um ano de afastamento de Dilma Rousseff

Debate teve presença de senadores Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias e da ex-presidente Dilma Rousseff

Debate teve presença de senadores Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias e da ex-presidente Dilma Rousseff


MARIANA CARLESSO/JC
A ex-presidente Dilma Rousseff (PT), acompanhada dos senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Lindbergh Farias (PT-RJ), participou do evento "Um ano de golpe" na Câmara de Porto Alegre, na noite desta sexta-feira. Durante cerca de 50 minutos, Dilma fez críticas ao seu processo de impeachment, à imprensa e à proposta de emenda constitucional do Teto dos Gastos. Também defendeu a política econômica adotada por seu governo, o PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta em fevereiro.
A ex-presidente destacou que a "continuação do golpe" é sua criminalização por citações a seu nome por delatores da Operação Lava Jato. "Eu tenho que provar que eu não sabia (de crimes praticados durante sua campanha presidencial). Só no mensalão houve essa definição que era a prova negativa. Como não me apropriei de um único tostão, vão fazer outras tentativas", disse.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia