Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de maio de 2017. Atualizado às 22h32.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

Notícia da edição impressa de 10/05/2017. Alterada em 09/05 às 21h00min

Justiça determina suspensão das atividades do Instituto Lula

O juiz substituto Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal Criminal de Brasília, determinou, a pedido do Ministério Público Federal, a suspensão das atividades do Instituto Lula, entidade comandada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
No despacho, assinado no último dia 5 e publicado nesta terça-feira, o magistrado justificou que há indícios "veementes" de "delitos criminais" que podem ter sido iniciados ou instigados na sede do instituto, localizada em São Paulo. O assessor de imprensa do Instituto Lula, José Chrispiniano, afirmou, por telefone, que o instituto "não vai comentar a decisão, pois ainda não foi oficialmente notificado".
"Como o próprio acusado (Lula) mencionou que no local (sede do Instituto Lula) se discutiam vários assuntos, e há vários depoimentos que imputam pelo menos a instigação de desvios de comportamentos que violam a lei penal, a prudência e a cautela recomendam a paralisação de suas atividades. Há indícios abundantes de que se tratava de local com grande influência no cenário político do País, e que possíveis tratativas ali entabuladas fizeram eclodir várias linhas investigativas", escreveu o juiz de Brasília em um trecho do despacho. Para assegurar o cumprimento da decisão, o magistrado determinou que a superintendência da Polícia Federal em São Paulo, a Junta Comercial paulista e o presidente do Instituto Lula sejam comunicados da medida cautelar.
De acordo com a força-tarefa da Lava Jato, o terreno onde a sede do instituto foi construída foi adquirido pela Odebrecht em troca de contratos firmados pela empreiteira com a Petrobras. O Instituto Lula afirmou que "funciona em asa adquirida em 1991, onde antes funcionava o Instituto da Cidadania. Não existe 'novo Instituto Lula'. Todas as doações ao Instituto Lula são legais e registradas com notas fiscais".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia