Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de maio de 2017. Atualizado às 12h43.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

partidos

03/05/2017 - 17h11min. Alterada em 03/05 às 17h11min

PT comemora libertação de Dirceu, crescimento de Lula e sugere eleição antecipada

A cúpula do PT divulgou nesta quarta-feira (3) resolução política em que comemora o habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao ex-ministro José Dirceu, preso pela Lava Jato, e o crescimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas pesquisas de intenção de voto. Em reunião da Executiva Nacional, os petistas também decidiram sugerir aos parlamentares do PT e aliados que proponham emenda constitucional convocando eleições diretas antecipadas ainda neste ano.
"O PT saúda a decisão que liberou o companheiro José Dirceu, preso injustamente, e espera que a mesma se estenda ao companheiro João Vaccari", diz a resolução, que também cita o ex-tesoureiro do PT, outro réu da Lava Jato preso em Curitiba.
O documento chama o presidente Michel Temer de "chefete" e as delações da Odebrecht e da OAS de "fabricadas". "A enxurrada de gastos publicitários para os grandes veículos da mídia também foi incapaz de impedir a queda vertiginosa da popularidade do governo ilegítimo e de seu chefete: a rejeição a Temer é inversamente proporcional à sua arrogância", afirma a resolução.
Na avaliação da cúpula do PT, o partido está se recuperando da crise e é preciso apressar a votação da reforma política, com a instituição de um financiamento público de campanha e voto em lista. "Quanto mais o ex-presidente avança, mais os asseclas do golpe atiçam seu ódio e perseguição com delações fabricadas e denúncias sem provas", destaca o documento. Lula é pré-candidato do PT à Presidência, mas, se for condenado em segunda instância pela Justiça, ficará inelegível.
Ainda na resolução, o PT também definiu a greve geral do último dia 28 como um "marco histórico na luta contra o governo usurpador", observando que de pouco adiantou "a mídia monopolizada e seus lacaios" tentarem desqualificar o movimento.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Vando Carlos 03/05/2017 17h24min
Observa-se que, gradativamente, a cúpula que institucionalizou o corrupção no Brasil está juntando-se novamente. Aliás, espera-se que o único a ser condenado seja o Juiz Sérgio Moro.