Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de junho de 2017. Atualizado às 00h48.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 01/06/2017. Alterada em 31/05 às 19h33min

Precisamos de solução, por favor!

José Antônio Belló
Que existe uma gigantesca crise política, afetando seriamente a economia, não é novidade para ninguém. A novidade que precisamos, com a máxima urgência, é que se encontre uma saída viável, legal e consistente para fazer com que o Brasil volte ao caminho do crescimento, gerando emprego e renda e trazendo tranquilidade para a população.
Sucedem-se os escândalos e parece que estamos disputando um campeonato para ver quem é mais ou menos corrupto, quem fez mais ou menos falcatruas. Isso não é um campeonato! Não estamos na arquibancada assistindo como torcedores! Estamos no campo, no meio do jogo e somos a parte diretamente envolvida nesse espetáculo de horrores que se transformou a administração do nosso País.
Distanciar-se e dizer que isso não é comigo significa negar o que está acontecendo e fugir das próprias responsabilidades. O momento é de agir, com seriedade, foco e determinação, visando a uma solução o mais rápido possível. O combate à corrupção é fundamental, porém, travar a economia, jogar famílias na miséria, quebrar empresas, nos levará para um outro desafio que talvez não se consiga vencer em muitos anos. Como empregadores de milhares de pessoas de baixa escolaridade, através das nossas empresas representadas, conhecemos muito bem a realidade em nosso Estado, que não difere do resto do Brasil.
Nossos políticos têm que tirar o foco de seus próprios interesses, que geralmente em nada têm a ver com os interesses da população, deixar de pensar apenas em salvar a própria pele, e dar um mínimo de atenção à nação. Já perdemos muito devido a essa postura nada republicana. Ninguém os obrigou a se desviarem do bom caminho. Portanto, nos apresentem uma solução o quanto antes. Por favor! Do contrário, em breve os senhores administrarão uma massa falida.
Presidente do Sindasseio-RS
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia