Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de maio de 2017. Atualizado às 23h30.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 31/05/2017. Alterada em 30/05 às 19h53min

Eis aí: as vagas de emprego

Mendes Ribeiro
Friso antes de tudo que a contribuição que seguirá não é minha, é deste veículo (Jornal do Comércio) em parceria com Pucrs, GeraçãoE (iniciativa deste), Sebrae-RS e Fajers (que tenho o prazer de conhecer e acompanhar o trabalho). Porém, dada a escassez daquilo que nos é precioso, o tempo, compartilho a minha leitura do fim de semana com quem não acessou à integra da pesquisa com 1.732 gaúchos, intitulada Empreendedores - realizada e publicada pelos destacados acima.
Certo de que os dados levantados terão proveito e olhar diferente de acordo com a área do leitor, eu aponto o meu, de legislador, agora mais crente na importância do fomento ao potencial dos jovens empreendedores.
O que pensa o gaúcho ao convite de empreender? Executar um trabalho motivador, estimulante, ao encontro da independência. Algo positivo.
Os rendimentos na faixa mais baixa de salários provêm dos não empreendedores; na mais elevada destes entusiastas. E estes não são nada ingênuos, visto que a maioria (80%) destaca que sacrifícios pessoais são necessários e um dos motivadores é justamente o acúmulo de experiência, a expertise - não estamos falando de pessoas que largam tudo para adentrar ao desconhecido.
Ainda, o mesmo percentual deseja criar algo seu, e não investir em um formato já pronto (compra de um já existente). Que empreender leva a geração de emprego e renda, ao crescimento pessoal, profissional e financeiro seu e do outro, a contribuições que são convertidas em melhorias dos serviços públicos na cidade, eu sempre tive como premissa, mas confesso que o futuro me entusiasma ao saber que 70% dos entrevistados pretendem contratar funcionários e, destes, 37% de 2 a 5.
Adivinhem em qual segmento predomina estes geradores de oportunidades? Jovens, de 18 a 29 anos. A qualidade e princípio destacados? O planejamento. Os obstáculos apontados? A alta carga tributária e a burocracia. Eis aí as vagas de emprego que tanto o País precisa. Resta ao Brasil minimizar os obstáculos. Esse é o meu compromisso na Câmara de Vereadores.
Vereador de Porto Alegre (PMDB)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia