Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 09 de maio de 2017. Atualizado às 22h35.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Terrorismo

Notícia da edição impressa de 10/05/2017. Alterada em 09/05 às 20h49min

Estados Unidos vão enviar armas pesadas para o combate ao Estado Islâmico na Síria

O presidente norte-americano, Donald Trump, aprovou o envio de armamento pesado aos curdos que lutam contra a facção terrorista Estado Islâmico (EI) no Norte da Síria, informou um funcionário do governo à agência Associated Press. As Forças Democráticas da Síria, que incluem a milícia curda Unidades de Proteção Popular (YPG, na sigla em curdo), são o principal parceiro dos Estados Unidos na guerra contra o EI na Síria.
Desde novembro do ano passado, o grupo vem trabalhando com a coalizão encabeçada pelos norte-americanos para circundar a cidade de Raqqa, bastião dos extremistas em solo sírio. Durante o governo Barack Obama, as Forças Democráticas da Síria já recebiam apoio, mas limitado, como munições e armas leves. Em janeiro, dias após a posse de Trump, um porta-voz da coalizão afirmou que os EUA haviam aumentado o envio de armas, incluindo blindados.
A decisão foi tomada apesar das objeções da Turquia, que considera a milícia curda um braço do grupo PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), classificado como organização terrorista pelo governo turco. O YPG é alvo de bombardeios turcos na Síria. Ancara enfrenta há três décadas uma insurgência dos combatentes do PKK no Sudeste da Turquia. Um cessar-fogo foi rompido em julho de 2015, levando ao aumento da violência na região. Já Washington avalia que o YPG tem sido fundamental na luta contra o Estado Islâmico na Síria.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia