Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de maio de 2017. Atualizado às 14h53.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

ESTADOS UNIDOS

Alterada em 04/05 às 14h58min

Trump assina decreto sobre liberdade religiosa e liberdade de expressão

 O evento contou com a participação de diversas entidades religiosas cristãs e também membros da comunidade judaica e islâmica

O evento contou com a participação de diversas entidades religiosas cristãs e também membros da comunidade judaica e islâmica


MANDEL NGAN / AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto sobre liberdade religiosa e liberdade de expressão em uma cerimônia na Casa Branca. O decreto abranda regras para instituições religiosas se envolverem mais em atividades políticas, oferecendo um "alívio regulatório" não especificado.
O evento contou com a participação de diversas entidades religiosas cristãs e também membros da comunidade judaica e islâmica. "Nenhum americano deve ser forçado a escolher entre as leis do governo federal e os comandos de sua fé", declarou Trump.
O presidente aproveitou a ocasião para anunciar sua primeira viagem ao exterior nas próximas semanas para Israel, Arábia Saudita e Vaticano, este último no dia 24 de maio. Trump deve se encontrar com o Papa no local.
O republicano ainda disse que a visita à Arábia Saudita irá incluir um encontro com líderes "de todo o mundo islâmico", unidos contra o extremismo.
Ele fez um breve comentário bastante otimista sobre a votação do novo projeto da reforma da saúde, que deve ocorrer ainda nesta tarde. "Teremos um dia maravilhoso e uma votação maravilhosa sobre a reforma da saúde".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia