Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de maio de 2017. Atualizado às 17h45.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

ESTADOS UNIDOS

Alterada em 03/05 às 17h45min

Ocultar investigação sobre e-mails de Hillary teria sido pior, diz chefe do FBI

O diretor do FBI, James Comey, disse nesta quarta-feira (3) sentir "náuseas" ao pensar que possa ter influenciado as eleições do ano passado ao anunciar dias antes da votação que reabrira a investigação sobre o caso dos e-mails de Hillary Clinton. Ocultar a decisão, porém poderia ter sido muito pior, afirmou em audiência do Comitê Judicial do Senado.
"Sinto náuseas em pensar que pudemos ter tido um impacto na eleição, mas, honestamente, isso não muda minha decisão", disse.
A declaração foi feita após Hillary Clinton citar, na terça (2), as ações do FBI como um dos motivos de sua derrota para Donald Trump.
No dia 28 de outubro, uma semana e meia antes das eleições, Comey anunciou a abertura de novas investigações sobre o uso indevido de um servidor de e-mails privado por Hillary no período em que ela foi Secretária de Estado.
"Eu estava no caminho da vitória até que uma combinação da carta de Comey [sobre as investigações], no dia 28 de outubro, e do 'Wikileaks russo' [a suposta interferência de hackers que vazaram e-mails privados da campanha] levantaram dúvidas em pessoas que estavam inclinadas a votar em mim", disse a democrata na quarta-feira (2).
A divulgação das mensagens de seu chefe de campanha John Podesta, que teriam sido obtidas pelos supostos hackers, revelaram trechos de palestras ministradas pela candidata a bancos, com opiniões favoráveis ao mercado financeiro e ao livre comércio, em contraste com o discurso dela na campanha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia