Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de maio de 2017. Atualizado às 17h09.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

reino unido

03/05/2017 - 17h10min. Alterada em 03/05 às 17h11min

May acusa políticos europeus de quererem prejudicar negociações do Brexit

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, afirmou em discurso que alguns líderes da União Europeia (UE) não querem que as negociações da saída do país do bloco, o Brexit, sejam bem-sucedidas e declarou que "ameaças foram feitas" contra o Reino Unido por Bruxelas, sede da UE, com o objetivo de afetar o resultado das eleições no país.
A premiê convocou eleições antecipadas no começo do mês, com o objetivo de fortalecer a posição de seu partido para as negociações do divórcio com o bloco europeu.
"Nos últimos dias, vimos o quão difíceis as negociações do Brexit serão. A posição do Reino Unido nessa questão foi mal representada pela imprensa europeia e a posição da Comissão Europeia está mais dura. Ameaças contra nosso país foram feitas por políticos europeus. Todos esses atos foram deliberadamente programados para afetarem o resultado das eleições gerais que ocorrerão no dia 8 de junho", declarou May, em frente à sua residência e gabinete oficial em Londres, segundo informações do jornal britânico The Guardian.
Mais cedo, a premiê havia ido ao Palácio de Buckingham para encontrar a Rainha Elizabeth II, em um ato formal para marcar a dissolução do parlamento antes das eleições.
"O Reino Unido precisa de uma liderança forte e estável. As consequências serão sérias, caso as negociações não sejam bem sucedidas", disse May, segundo o jornal britânico.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia