Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de maio de 2017. Atualizado às 22h32.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança pública

Notícia da edição impressa de 30/05/2017. Alterada em 29/05 às 21h07min

Ônibus com presos provisórios será desativado nos próximos dias

O ônibus-cela conhecido como Trovão Azul, utilizado emergencialmente na custódia de presos em Porto Alegre desde novembro do ano passado, será desativado nos próximos dias. O secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, chegou a determinar que o veículo deixasse de operar no sábado. No entanto a superintendente dos Serviços Penitenciários (Susepe), Marli Ane Stock, pediu que o ônibus seja mantido em funcionamento temporariamente, para que seja desativado de forma gradual e progressiva.
A intenção é não causar prejuízos ao policiamento ostensivo, uma vez que a desativação imediata do ônibus-cela implicaria a mobilização de viaturas da Brigada Militar para a custódia de presos. Schirmer aceitou a solicitação, mas determinou que sejam buscadas soluções imediatas, em até 30 dias, para a ocupação gradativa da Penitenciária de Canoas, a fim de liberar vagas no sistema penitenciário.
Também por determinação de Schirmer, o veículo foi realocado para a Secretaria de Transportes, na avenida Sertório, 3.200, para onde os novos detidos serão levados enquanto aguardam a abertura de vagas no sistema prisional. Inicialmente, o Trovão Azul tinha sido instalado no estádio Olímpico, revoltando moradores da região.

Licitação para presídio em Eldorado do Sul deve ocorrer no segundo semestre

Embora já esteja confirmado para Eldorado do Sul, o presídio federal que será construído em solo gaúcho ainda deve demorar um pouco para virar realidade. De acordo com o Ministério da Justiça, a licitação necessária para a construção só deve ser lançada no segundo semestre deste ano, possivelmente a partir de julho. No momento, está em andamento o processo de transferência de domínio de área onde a unidade será erguida, em um terreno ao largo da BR-116, que pertence à Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) e será doado à União.
A previsão é que a penitenciária de segurança máxima receba em torno de 210 presos, em uma obra com custo estimado de R$ 60 milhões. A obra é vista pelo ministério como "um instrumento de cooperação federativa para isolar as lideranças de organizações criminosas", em um modelo semelhante ao das quatro unidades já existentes no Sistema Penitenciário Federal, nos municípios de Campo Grande (MS), Mossoró (RN), Catanduvas (PR) e Porto Velho (RO).
A Secretaria de Segurança Pública ainda trata o assunto internamente e não confirma as características da nova unidade prisional. A construção do presídio em Charqueadas, que chegou a ser considerada a primeira opção, acabou sendo descartada depois de um laudo negativo do governo federal.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia