Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de maio de 2017. Atualizado às 13h29.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

Alterada em 24/05 às 13h32min

Manifestação não poderá chegar a Praça dos Três Poderes, diz Secretaria do DF

A Secretaria de Segurança e da Paz do Distrito Federal esclareceu que a manifestação desta quarta-feira (24) em Brasília, não poderá chegar até a Praça dos Três Poderes e ficará restrita ao quadrilátero da região da Esplanada dos Ministérios, desde a Catedral à Alameda das Bandeiras, que fica em frente à entrada principal do Congresso Nacional.
Mais cedo, responsáveis pela segurança do Palácio do Planalto informaram que o protesto poderia chegar até a frente do Planalto. Segundo a Secretaria de Segurança do DF, entretanto, no mês passado 48 órgãos do Distrito Federal, Congresso e governo, assinaram um protocolo para "grandes protestos" e estabeleceram a delimitação do espaço.
"A área é uma delimitação prevista no Protocolo Tático Integrado (PrTI), assinado, mês passado, por 48 órgãos do Distrito Federal, Congresso Nacional e Governo, não será permitida a presença de manifestantes na Praça dos Três Poderes. O protocolo estabelece esse espaço para os protestos de grande concentração público em Brasília", explicou uma nota divulgada pela entidade.
Mais cedo, conforme mostrou o Broadcast Político (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), o Planalto estava cercado por mais de 200 homens do Batalhão da Guarda Presidencial (BGP), que estavam próximos da rampa e do espelho d'água, munidos de escudos e cães adestrados. Agora, no entanto, não há mais o policiamento cercando o prédio.
O sistema de segurança da capital federal, formado pelas Forças Armadas e pelas polícias, mantinha no Planalto, segundo informaram os guardas à reportagem, a decisão de permitir que a manifestação desta quarta contra o presidente Michel Temer ocupasse a Praça dos Três Poderes, área que, no processo de impeachment de Dilma Rousseff, no ano passado, ficou fechada nos dias mais críticos dos protestos.
Interlocutores do presidente Michel Temer estão, por enquanto, evitando comentar as manifestações e dizem que é preciso esperar para ver a sua adesão e força para comentar o impacto no governo. Apesar disso, auxiliares reconhecem que, a depender da magnitude dos atos desta quarta, o desgaste político do governo - que está em crise - pode aumentar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia