Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 17h16.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

saúde

15/05/2017 - 17h15min. Alterada em 15/05 às 17h23min

Confirmado terceiro caso de leishmaniose visceral humana em Porto Alegre

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre confirmou nesta segunda-feira (15) o terceiro caso de leishmaniose visceral humana (LVH) na Capital gaúcha. A paciente é uma senhora de 81 anos, residente no bairro Jardim Carvalho, próximo à pedreira do Morro Santana.
A confirmação foi feita por exame de aspirado de medula. A partir da confirmação da doença, foi iniciado tratamento específico, no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC).
Segundo a pasta, a notificação à Secretaria foi feita no dia 11 de maio pelo hospital, onde a paciente está internada em estado grave. A vítima reside em área onde foram confirmados dois óbitos por LVH – uma menina de um ano e sete meses, em setembro de 2016, e um homem na faixa dos 40-50 anos, em fevereiro.
Conforme o Ministério da Saúde, a leishmaniose visceral era, primariamente, caracterizada como doença de caráter rural. Mais recentemente, no entanto, ela vem se expandindo para áreas urbanas de médio e grande porte e se tornou crescente problema de saúde pública no País. É uma doença sistêmica, caracterizada por febre de longa duração, perda de peso, astenia, adinamia e anemia, dentre outras manifestações. Quando não tratada, pode evoluir para óbito em mais de 90% dos casos.
A doença é transmitida pelo mosquito-palha ou birigui (Lutzomyia longipalpis) que, ao picar, introduz na circulação do hospedeiro o protozoário Leishmania chagasi.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia