Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de maio de 2017. Atualizado às 22h36.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

Notícia da edição impressa de 05/05/2017. Alterada em 04/05 às 21h03min

Contingenciamento para nova ponte do Guaíba é incerto

Informação sobre corte de R$ 100 milhões ainda não foi formalizada pelo governo federal

Informação sobre corte de R$ 100 milhões ainda não foi formalizada pelo governo federal


CLAITON DORNELLES/JC
Apesar de quase certo, o corte de R$ 100 milhões nos recursos previstos para a construção da nova ponte do Guaíba ainda não foi confirmado. Segundo informações do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte no Rio Grande do Sul (Dnit-RS), o possível contingenciamento não foi formalizado pelo governo federal até o momento.
No fim de março, a União anunciou redução de gastos em um valor de R$ 42,1 bilhões, a serem repartidos entre as pastas. Por isso, o Dnit precisa readequar seu orçamento. A obra da nova ponte do Guaíba está com cerca de 46% dos trabalhos concluídos.
Na quarta-feira, foi publicada, no Portal da Transparência, a liberação de R$ 35 milhões de empenho para a continuidade dos trabalhos. O aporte de recursos permitirá a continuidade da execução da ponte pelos próximos meses, mas não será suficiente para ir muito longe, uma vez que o repasse previsto para 2017 com enfoque na construção da ponte é de R$ 229,5 milhões.
Mesmo que o corte não ocorra, ainda não está resolvido o destino das 534 famílias e dos 28 pontos de comércio localizados no trecho da Ilha Grande dos Marinheiros que precisará ser desocupado. A previsão é que as novas moradias sejam entregues em junho de 2019.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia