Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de maio de 2017. Atualizado às 23h48.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Brasil

Alterada em 31/05 às 23h48min

Com gol olímpico, Atlético-MG bate o Paraná e vai às quartas na Copa do Brasil

O Atlético-MG fez o suficiente para derrotar o Paraná por 2 a 0, nesta quarta-feira, e garantir vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. Empurrado mais uma vez por sua torcida no Independência, o time alvinegro não teve uma de suas melhores atuações, mas desafogou com um gol olímpico de Otero, no fim do primeiro tempo. Na etapa final, Fred completou o placar.
A vitória foi suficiente para garantir a vaga após a queda por 3 a 2 no jogo de ida, em Curitiba, na semana passada. Além disso, encerrou uma sequência negativa do Atlético-MG, que vinha de três partidas sem triunfo, inclusive um inesperado empate em casa com a Ponte Preta no fim de semana, pelo Brasileirão.
Se os gols de Otero e Fred livraram a atuação pouco convincente do Atlético-MG, mais uma vez Cazares foi o maestro da equipe, comandando as melhores jogadas, principalmente no segundo tempo. A nota triste do confronto ficou por conta da lesão do goleiro Léo, do Paraná, que foi atingido pelo joelho de Fred no lance do segundo gol e deixou o campo direto para o hospital, com o supercílio sangrando e o olho bastante inchado.
Agora, o Atlético-MG precisa mostrar serviço pelo Campeonato Brasileiro, no qual ainda não venceu. No domingo, encara o atual campeão Palmeiras em São Paulo, às 16 horas. Já o Paraná volta as atenções para a Série B, pela qual duela com o Londrina na próxima terça-feira, fora de casa, às 20h30.
Se não pôde celebrar a vaga, o Paraná deve se orgulhar de ter dado muito trabalho a uma das principais equipes do Brasil. Não bastasse a vitória na ida, controlou bem o ímpeto atleticano que gerou uma verdadeira blitz no início do confronto desta quarta, mas sem nenhum resultado.
Empurrado pela torcida, o Atlético-MG até tinha o domínio territorial e de posse de bola, mas o único susto aconteceu aos seis minutos, quando Otero tocou para Cazares, que girou bem sobre a zaga mas bateu fraco. O Paraná se fechava a partir da intermediária e, com uma marcação competente, impedia as chegadas do rival.
Aos poucos, o ímpeto do time e da torcida da casa diminuíram. E aí, quem quase marcou foi o Paraná. Aos 38, Danilo errou próximo ao meio de campo e Robson foi rapidamente acionado. O atacante invadiu a área pela esquerda e bateu cruzado, fora da direção do gol e fechado demais para que Felipe Alves pudesse alcançar na segunda trave.
Só que quando o Paraná parecia controlar a partida, sofreu o primeiro gol em um lance casual e de muita felicidade de Otero. Aos 40 minutos, o venezuelano cobrou escanteio fechado pela esquerda. Léo pulou e não alcançou a bola, que ainda tocou na trave antes de entrar.
Aos 43, Robson acertou o travessão de Victor em bela cobrança de falta pela esquerda. Mas o gol foi suficiente para tranquilizar o Atlético-MG, que voltou melhor para etapa final, aproveitando-se, também, da necessidade de sair para o jogo do Paraná.
Começou a brilhar, então, a estrela de Cazares. Aos 14, ele foi lançado pela esquerda, aproveitou cochilo de Rayan e, na saída de Léo, cruzou para Fred. Sem goleiro, o atacante desviou de cabeça e jogou para fora.
Mas Fred não falharia novamente, e aos 21, a parceria funcionaria com perfeição. Cazares fez bela jogada pela direita e deu enfiada precisa para o atacante. De frente para o goleiro, ele deu lindo toque por baixo da bola e encobriu Léo para marcar Mas no lance, o goleiro foi atingido e precisou ir direto para o hospital.
O gol acabou com qualquer esperança de reação do Paraná, que ainda se lançou ao ataque e viveu bom momento com Pedro Bortoluzo nos últimos minutos, mas não tinha criatividade suficiente para buscar dois gols. Ao Atlético-MG bastou administrar o resultado e esperar pelo apito final.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia