Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 06 de maio de 2017. Atualizado às 15h29.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato gaúcho

Alterada em 06/05 às 15h34min

Novo Hamburgo e Internacional duelam para saber quem é o melhor do Rio Grande do Sul

Colorados e anilados ficaram no empate em 2 a 2, no Beira-Rio

Colorados e anilados ficaram no empate em 2 a 2, no Beira-Rio


RICARDO DUAR/INTER/DIVULGAÇÃO/JC
A decisão da temporada 2017 do campeonato gaúcho, que será realizada neste domingo (7), às 16h, no relvado do Centenário, em Caxias do Sul, por si só é um fato histórico. Em campo, Novo Hamburgo e Internacional duelam para ver quem será o maior do Rio Grande do Sul. Os anilados vão em busca do tão sonhado e inédito título, enquanto os colorados buscam repetir a façanha conquistada na década de 70.
O Novo Hamburgo tem um dado importante neste ano: ainda não sabe o que é perder para a dupla Grenal. O elenco do Vale dos Sinos procura manter um embate igual contra o favorito alvirrubro de Porto Alegre.
A última vez que o título ficou com um time do Interior foi em 2000, e, coincidentemente, com o clube que irá ceder a sua casa para o confronto deste domingo. O Caxias, sob o comando de Tite, desbancou o todo-poderoso Grêmio de Ronaldinho Gaúcho, levando a melhor no certame estadual daquele ano. Após vencer o tricolor por 3 a 0, no Centenário, os comandados do hoje técnico da seleção brasileira seguraram um 0 a 0 no Olímpico. Casualmente, há 17 anos, o Noia vencia a segunda divisão, hoje Divisão de Acesso, e retornava à elite do futebol gaúcho.
Dentro de campo, o Novo Hamburgo é o dono da melhor campanha da atual edição. Na primeira fase, a equipe comandada por Beto Campos venceu sete vezes, empatou duas e perdeu outras duas. Nas quartas de final, o grupo passou pelo São José, com duas vitórias por 1 a 0. Nas semifinais, o adversário foi o Grêmio. Após dois empates em 1 a 1 com, a vaga veio nas cobranças de pênaltis, com grande atuação do goleiro Matheus Cavichioli.
Já o elenco colorada adentra o campo com preocupação na defesa de sua meta. Danilo Fernandes será o titular neste final de semana. Entretanto, o arqueiro não se encontra totalmente recuperado de uma lesão no pé esquerdo. Danilo fez cirurgia na base do dedo mínimo há 32 dias, não joga desde então e terá de atuar com o pé enfaixado, a fim de minimizar um possível incômodo provocado pela fratura ocorrida no começo de abril.
O Inter chega à final após uma campanha muito irregular. Na fase classificatória, teve um aproveitamento de apenas 42%. Em 11 jogos, foram três vitórias, cinco empates e três derrotas. A equipe de Antônio Carlos Zago classificou na sétima colocação. A primeira derrota em casa foi justamente para o Noia, no dia 4 de fevereiro, pela 2ª rodada. Nas quartas de final, o colorado bateu o Cruzeiro por 3 a 1, em casa, e avançou com nova vitória, por 2 a 0, no Vieirão. Na semifinal, superou o Caxias, precisando das penalidades. O jovem goleiro Keiller saiu do banco para garantir a vaga na final, defendendo duas cobranças.
Como o jogo de ida, no Beira-Rio, acabou empatado em 2 a 2, quem vencer no Centenário ficará com o título. Novo empate, independentemente do placar, levará a decisão para os pênaltis.
Novo Hamburgo x Internacional
Matheus; Léo, Júlio Santos, Pablo e Assis; Amaral, Preto, Jardel e Juninho; Branquinho e João Paulo. Técnico: Beto Campos.
Danilo Fernandes; William, Léo Ortiz, Cuesta e Ernando; Rodrigo Dourado, Edenílson, Uendel e D'Alessandro; Nico López e Brenner. Técnico: Antonio Carlos Zago.
Árbitro: Leandro Vuaden
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia