Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de junho de 2017. Atualizado às 00h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Crédito

Notícia da edição impressa de 01/06/2017. Alterada em 31/05 às 21h18min

Bndes deixou de emprestar para infraestrutura R$ 25 bilhões em 2016

O envolvimento de empresas na Operação Lava Jato e o impacto da crise econômica sobre o negócio de grandes companhias impediram o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) de emprestar R$ 25 bilhões em projetos de infraestrutura no ano passado, afirmou ontem Marilene Ramos, diretora do banco.
Segundo ela, o banco dispunha de R$ 55 bilhões para emprestar em infraestrutura. Os recursos, diz, correspondiam a contratações em análise ou mesmo em vigor.
Parte desses recursos - ou R$ 25 bilhões - acabou retida pelo banco em razão da deterioração creditícia de empresas. O Bndes, então, acabou emprestando apenas R$ 30 bilhões, em resposta aos problemas na demanda de recursos.
Para Marilene, há uma angústia natural em relação ao processo de liberação desses recursos, mas é preciso entender que as negociações são longas e, no caso de algumas empresas, envolvem acordos de leniência.
A leniência, afirma ela, regulariza a empresa do ponto de vista cadastral. "Com o cadastro regularizado, a avaliação do banco sobre a empresa é igual à feita sobre qualquer outra."
Ela diz que há perspectivas de bons projetos, que podem mitigar o déficit em infraestrutura no Brasil, mas ressaltou: "não sonhem chegar ao Bndes com projeto no papel de pão e ter financiamento em seis meses".
Além das áreas de infraestrutura e inovação, o Bndes também olha com especial atenção ao segmento de pequenas e médias empresas - que, muitas vezes, encontram dificuldades de acessar recursos do Bndes por meio de repasses feitos aos bancos comerciais.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia