Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de junho de 2017. Atualizado às 00h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

CONSUMO

Notícia da edição impressa de 01/06/2017. Alterada em 01/06 às 00h39min

Vendas do Dia dos Namorados vão crescer 5%

Consumidores pretendem gastar em média R$ 186,00 com presentes

Consumidores pretendem gastar em média R$ 186,00 com presentes


/FREDY VIEIRA/JC
A pesquisa encomendada por Sindilojas Porto Alegre e CDL POA sobre a intenção de compras para o Dia dos Namorados, 12 de junho, projeta que a data movimentará R$ 73,5 milhões no comércio da Capital. Em relação ao ano passado, o resultado deve apresentar uma variação nominal de 5% em relação ao mesmo período. O ticket médio estimado para a data deve ficar em R$ 186,00. De acordo com os dados levantados, a classe A pretende gastar, em média, surpreendentes R$ 950,00; a classe B1, R$ 301,26; a classe B2, R$ 161,59; a classe C1, R$ 175,30; a classe C2, R$ 128,31; e a classe D/E, R$ 62,23.
Segundo o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, roupas e perfumes lideram a preferência dos consumidores. "A pesquisa apontou que 27,5% pretende dar roupas e 14,6%, perfumes. Os dados revelaram que, neste ano, as lojas de rua foram escolhidas por 54,30% dos entrevistados para serem feitas as compras, enquanto os shopping centers, por 37,80%. A internet, por sua vez, sofreu acréscimo, subindo de 1,60% para 3,60% da preferência. É um reflexo da retomada do crescimento do varejo", explica.
A semana que antecede a data é o período escolhido por 57% para a compra do presente. Somente 12,6% se programam para fazer as compras duas semanas antes do dia 12 de junho, enquanto apenas 8% compram com um mês de antecedência.
A maioria dos entrevistados (43,10%) pretende pagar à vista, em dinheiro. O número é inferior aos 67,3% de 2016, mas continua na liderança, seguido por "no cartão de crédito parcelado" (22,5%), "cartão de débito" (18,9%), "cartão de crédito em 1 vez só" (9,60%) e "no prazo, em cartão da loja/crediário" (1,70%).
O que mais impacta a escolha dos presentes para a data é o "peso no bolso". Para 86,80% dos entrevistados, o desconto é o que mais ajuda na definição do local onde será feita a compra, seguido pelo preço, com 81,80%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia